Vai ter bailarino baiano em Nova York, sim!

Quem acompanha o blog há um tempinho lembra que, ainda em 2015, a gente já vinha cantando a bola que Ed Cruz, bailarino revelado pelo Balé Folclórico da Bahia, dava sinais que ia voar longe.

Na ocasião, ele tinha recebido uma bolsa para o Alvin Ailey, uma das mais prestigiadas companhias de dança contemporânea do mundo. Mas, por uma série de razões, ele acabou não conseguindo passar a temporada em Nova York, nos Estados Unidos, onde a companhia é baseada.

Ed Cruz
Ed foi revelado pelo Balé Folclórico da Bahia (foto: arquivo pessoal)

Ele continuou no Balé Folclórico (muito bem, obrigada!), sendo escalado para diversas turnês internacionais e, depois dessa última, justamente para os EUA, não retornou ao Brasil. Isso é porque Ed recebeu uma proposta da Azoth Dance Theatre, companhia que  conta com Jonathan Breton, um dos mais talentosos jovens coreógrafos da atualidade.

Conversei com ele bem rapidinho, e ele disse que, ao mesmo tempo em que está muito feliz com essa nova etapa da vida dele, ainda vai continuar buscando sonhos cada vez maiores. Mas também sabe que vai sentir – e deixar – muitas saudades.

Olha que lindo esse relato que ele publicou nas suas redes sociais:

“Chega um momento em nossas vidas que precisamos abrir mão de estar ao lado de quem amamos, da nossa família, das coisas, da nossa casa, da nossa vida normal e rotineira para correr e lutar por nossos sonhos!

A vida é feita de ciclos, e creio que um desses ciclos se completou, que foi o Bale Folclórico da Bahia: lugar onde vivi experiências singulares, aprendi de várias formas as facetas da vida de um artista, de um bailarino, de um ser humano.

Ed e o Balé Folclórico da Bahia
Alguns momentos de Ed no Balé Folclórico da Bahia (fotos: arquivo pessoal)

Sou muito grato a todos do BFB!!!

Obrigado por cada sorriso, bronca, festa, aula, caruru, coquetel. Sei que hoje me tornei e busco sempre me tornar um artista, um ser humano melhor! Ao Meu Mestre Zebrinha , obrigado por TUDO (palavras não podem descrever o quanto sou grato a você pela minha dança).

Ao meu diretor, Vavá Botelho, obrigado por tudo também, por tudo que aprendi. Minha professora Nildinha, obrigado sempre pelas palavras de força e encorajamento, pois sem as mesmas eu não teria tanta coragem assim.

Obrigado família Balé Folclórico da Bahia!”

Do lado de cá, esperamos sempre as melhores notícias! E que ele possa voltar de vez em quando e dançar um pouquinho pros meros mortais, não é mesmo?

Anúncios

Les Trocks rock!

Me ocorreu que nunca tinha feito um post sobre uma companhia super vanguarda, extremamente bem-humorada e com artistas muito talentosos: Les Ballets Trockadero de Monte Carlo. Sou apaixonada por esses bailarinos, e já tive a sorte de vê-los dançar no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, em 2007.

swan lake
Cena de “O Lago dos Cisnes”, ou “Quem Vai Ficar com Odette”? (Foto: Reprodução)

Para quem não conhece, a companhia é formada apenas por homens, que se revezam nos papeis masculinos e femininos nas remontagens dos clássicos. E essas remontagens são sempre caricaturas e abordagem de situações que jamais veremos no palco. Como um bailarino não conseguir carregar uma bailarina, por exemplo, ou uma bailarina de óculos e mascando chiclete. Alguém que ‘esquece’ a entrada na dança ou vai vestida com o figurino de outro repertório.

treta
Treta em “Paquita” (Foto: Reprodução)

Todas as bailarinas e bailarinos do elenco têm uma identidade com nome engraçado e histórico curioso, muitas vezes brincando com a debandada das estrelas russas do país natal. Isso tudo só faz agregar à dança e à diversão que eles proporcionam.

Mas se engana quem acha que eles só brincam! Eles treinam, e muito, para conseguir fazer tudo que uma bailarina faz nas pontas. Tem fouetté, penchée, piruetas mil e tudo que manda o figurino – ou o repertório. Lembro que, conversando com eles após a apresentação, eles disseram que é uma forma de homenagear as mulheres da dança, porque subir nas pontas é uma das coisas mais difíceis de se fazer. Eles, mais do que ninguém, sabem muito bem disso.

Segue abaixo uma das apresentações deles que eu mais gosto: A Morte do Cisne. Ver ao vivo é impagável, mas por aqui dá pra se divertir muito, também!

Gostou das bailarinas drag queens? Tem mais fotos aqui: