Penchée (mais!) turbinado

Bailarinas durante aula em Lausanne, na Suíça (Foto: Reprodução)

A gente já deu dicas de como fazer um penchée mais controlado (não viu ainda? Clique aqui!), mas agora vem a cereja do bolo: como deixar a perna atrás mais alta e sustentada?

Antes de qualquer coisa: muita calma nessa hora! Não vá achando que o exercício que você fez ontem vai surtir efeito no penchée de amanhã. Tem que ter paciência e disciplina, sobretudo para não se machucar.

Como falamos antes, a ideia do penchée é a manutenção da linha do arabesque. Se você consegue fazer um arabesque a 90º com as costas retinhas, já tem meio caminho andado – sua sustentação de costas é boa, e provavelmente com alongamento você consegue subir mais a perna atrás.

Ashley Hod, doNew York City Ballet, com seu penchée invejável. Foto: Jayme Thornton
Ashley Hod, doNew York City Ballet, com seu penchée invejável. Foto: Jayme Thornton

Se não for o seu caso, não tem problema! Você pode melhorar com alguns exercícios de fortalecimento. Um deles é a “esfinge”: deite de bruços, dobre os braços na altura do peito e estique as pernas. As palmas devem estar voltadas para o chão, embaixo do tronco. Faça uma flexão devagar, e quando estiver com o corpo levantado, abaixe o quadril enquanto olha para cima. Faça esse movimento oito vezes e depois vá aumentando gradativamente.

“Natação”: deite de bruços e cruze as mãos atrás da cabeça. Levante o tronco e as pernas ao mesmo tempo, conte até três bem devagar e desça. Repita dez vezes e aumente gradativamente. Esse exercício vai te ajudar a ter mais força nas costas e na parte interna da coxa.

Arabesque – penchée – arabesque: faça um penchée controlado com as duas mãos na barra. Quando chegar ao seu limite, levante o tronco SEM abaixar a perna. Grande parte da força nas costas é na volta – e não na ida! – para o arabesque. Atenção: esse exercício é difícil e demanda MUITA energia!

Parede amiga: faça um penchée contra uma parede com as duas mãos no chão e o pé de base um pouquinho à frente da parede. Depois de achar um ponto confortável, coloque o peso do corpo nas mãos e tire o pé da parede. Tente manter a perna o mais alto possível durante três segundos e volte para o apoio. Faça isso cinco vezes e vá aumentando gradativamente.

Mais uma coisa importante: se der uma dor “estranha” ou qualquer fisgada, para imediatamente! Respeite os limites do seu corpo, porque mais vale um penchée levemente acima de 90º do que uma bailarina ou bailarino machucada/o!

Gostou das dicas? Deu resultado? Conta pra gente 🙂

Fonte: Dance Spirit

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s