O efeito Misty Copeland

Misty Copeland como Odette. Foto: Reprodução/ The Guardian

O palco de um espetáculo de dança é o único lugar no mundo em que o príncipe pode ser negro, a camponesa pode ser asiática, um cisne negro pode ser branco, uma fada pode ser latina.. Mas uma coisa podemos ter certeza: o corpo de baile será sempre branco. A variedade de corpos e tons de pele é limitada.

Por isso a importância de uma bailarina como Misty Copeland: ela, numa tacada só, conseguiu “forçar” a entrada de uma bailarina negra e forte no posto mais alto de uma das maiores companhias de dança no mundo.

Mas o mais importante, no meu ponto de vista, não foi isso: a partir de Misty, o mundo começou a prestar atenção nos talentos que tinha historicamente deixado de lado. A partir da história de superação de Misty conhecemos, hoje, Michaela DePrince, bailarina do Dutch National Ballet que está ganhando o mundo pelo talento na dança e pela trajetória de sobrevivência. Ela, inclusive, acabou de anunciar que dançará Clara/Marie na produção de “O Quebra Nozes” da companhia.

Michaela DePrince em ensaio para a Glamour Magazine. Foto: Alique
Michaela em ensaio para a Glamour Magazine. Foto: Alique

Mas claro que Misty não foi a única. Graças a nomes como Carlos Acosta, temos hoje bailarinos incríveis despontando, como Eric Underwood, do Royal Ballet, um dos nomes mais cotados para, a longo prazo, assumir o posto de “estrela” deixado pelo cubano.

E no ano que vem teremos mais um passo muito, muito importante – talvez o passo mais importante até agora – no cenário da dança no mundo. A Associação Internacional de Negros na Dança (International Association of Blacks in Dance, em inglês) vai promover no dia 24 de janeiro, na Cleo Parker Robinson Dance Studios (em Denver, nos Estados Unidos), a primeira audição exclusivamente para dançarinas negras em escolas, cursos profissionalizantes e companhias.

Talvez assim, a partir do ano que vem, a gente consiga ver os ballets mais plurais, mais miscigenados, mais bonitos. Porque o que não poderia acontecer é continuar desprezando e diminuindo talentos como o desses dançarinos!

Eric Underwood. Foto: Reprodução/ Interview En L'air
Eric Underwood. Foto: Reprodução/ Interview En L’air

Veja abaixo a lista das instituições que já confirmaram participação (e parabéns aos envolvidos). Quer se inscrever? Clique aqui!*

Ballet Memphis

Charlotte Ballet

Colorado Ballet

Dance Theatre of Harlem

The Hartt School

Houston Ballet

Joffrey Ballet

Kansas City Ballet

Nashville Ballet

Pacific Northwest Ballet School

Pennsylvania Ballet

San Francisco Ballet

The Washington Ballet

 

*O site é em inglês

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s